O medo instaurado no consumo de produtos de origem animal

Bruna Souza Colunistas

Com a disseminação de tecnologia e fácil acesso a informações, o mundo atravessa momentos onde pequenos deslizes poderão ser transformados em grandes notícias. Diariamente acompanhamos nas mídias sociais relatos que nos assustam e nos fazem questionar onde estávamos que não vimos o que acontecia a nossa volta.

 

Exemplos de notícias corriqueiras e que nos causa temor estão relacionadas às que envolvem a produção de alimentos. Diariamente me deparo com vídeos que mostram imagens de suínos inteiros sendo transformados como em um passe de mágica em salsicha, ou frangos sendo injetados com água, empanados de frango sendo feitos de penas de aves, embutidos cozidos sendo produzidos com papelão e a mais recente notícia de ovos produzidos em material plástico.

 

Indivíduos com informação e sem a busca de conhecimento disseminam tais vídeos fazendo com que ocorra a conhecida “Fobia Alimentar”, o medo em comer determinado alimento. Diariamente me deparo com pessoas que dizem não consumir algum produto pelo que viram nas redes ou que se tornaram veganos por acreditarem que os animais são maltratados no processo de produção de alimentos.

 

As pessoas sentem medo de alimentar-se e o mais assustador sentem medo em procurarem a veracidade dessas notícias, pois a disseminação de notícias sensacionalistas os envolve em longos assuntos e para depreciar ainda mais a situação vejo indivíduos formadores de opinião apoiando absurda e atrapalhada causa.

 

Com a necessidade de esclarecer os mitos envolvidos apresento o objetivo desta coluna em esclarecer e expor com clareza o que envolve a produção desses alimentos, com o conhecimento das reações microbiológicas e enzimáticas na produção de produtos de origem animal.

@brunasalottisouza

Bruna Maria Salotti de Souza

Médica Veterinária

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade de Marília, exerceu a atividade como Gestora de Garantia da Qualidade, Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos na DaGranja Agroindustrial, empresa Marfrig Group, além de Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos no Frigorífico Prieto Ltda.

Mestre em Medicina Veterinária Preventiva

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp) – Campus de Jaboticabal, pela defesa de dissertação que avaliou a qualidade microbiológica de queijos Minas Frescal.

Doutora em Engenharia e Ciência de Alimentos

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp/Ibilce) – Campus de São José do Rio Preto, pela defesa de tese que avaliou a ação de bactérias ácidos láticas com potencial probiótico na microbiota intestinal de camundongos Balb/C.

Professora Universitária

Como professora universitária ministra as disciplinas de “Higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal” e “Ética e bem estar animal”, além de coordenar o curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário do Norte Paulista (UNORP).

Professora de Pós Graduação

Docente no curso de pós graduação lato sensu em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal e Vigilância Sanitária e Controle de Qualidade de Alimentos, no Instituto Qualittas de Pós Graduação, além de ser coordenado do núcleo educacional do mesmo Instituto no município de São José do Rio Preto-SP.

Pesquisadora

Desenvolve pesquisas na área de higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal, além da área de microbiologia de alimentos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *