Como confiar na qualidade dos produtos de origem animal disponíveis no varejo?

Bruna Souza Colunistas

Estamos constantemente lendo, ouvindo e falando sobre a qualidade dos produtos de origem animal (POA) consumidos e sobre a verdade envolvida na produção destes nas indústrias processadoras de alimentos.

Quando pensar em produtos de origem animal imagine tudo que provém do animal: carne, embutidos (salsicha, mortadela, presunto, apresuntado), linguiças, salame, leite, queijos, manteiga, leite fermentado, iogurte, mel, ovos, pescados. Em se tratando de produtos de origem animal, segundo a Lei n° 5.517, de 23 de outubro de 1968, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), é competência privativa do médico veterinário a inspeção de produtos de origem animal nos locais de produção, manipulação, armazenagem e comercialização.

Com a legislação descrita, posso afirmar que a cada produto de origem animal consumido no Brasil, existe um profissional médico veterinário responsável pela inspeção deste. E como ocorre o processo de inspeção?

Até o ano de 2006 existia no país um modelo convencional de funcionamento da inspeção sanitária desses produtos com base em órgãos e serviços de governo nas esferas federal, estadual e municipal, existindo assim uma divisão de responsabilidades de cada serviço de acordo com a área geográfica onde os POA serão comercializados.

O Serviço de Inspeção Federal (SIF) podem comercializar seus produtos em todo território nacional e até mesmo exportar; o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) pode comercializar seus produtos somente dentro de seu respectivo Estado e o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), pode comercializar seus produtos dentro da área geográfica do seu município.

A partir de 2006, um novo sistema de inspeção para POA vem sendo implantado no Brasil, sendo este chamado de SUASA – Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária, que visa reorganizar o sistema de forma descentralizada e integrada entre a União (instância central), os Estados e Distrito Federal (instância intermediária) e os municípios (instância local).

Para participar deste novo sistema os serviços de inspeção estaduais e municipais devem solicitar voluntariamente a adesão, sendo que a base para a adesão é o reconhecimento de sua equivalência, onde os Estados e municípios devem obter os mesmos resultados em termos de qualidade higiênica, qualidade sanitária e inocuidade dos produtos.

Independente da adesão ao SUASA, os serviços de fiscalização nas suas diferentes esferas, devem garantir a qualidade dos produtos consumidos e nós como consumidores devemos adquirir somente produtos que tenham os símbolos que indiquem e demonstrem a presença de um profissional médico veterinário que realizou a fiscalização deste.

Vale ressaltar que a inspeção nacional não avalia uma porcentagem de produtos e sim sua totalidade, garantindo que os produtos possuem qualidade higiênico-sanitária. Com esse conhecimento afirmo ser uma consumidora assídua de carnes a vácuo e de produtos previamente embalados pelas indústrias com procedência conhecida, sabendo a qualidade do que consumo.

 

Bruna Maria Salotti de Souza

 @brunasalottisouza

 

Médica Veterinária

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade de Marília, exerceu a atividade como Gestora de Garantia da Qualidade, Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos na DaGranja Agroindustrial, empresa Marfrig Group, além de Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos no Frigorífico Prieto Ltda.

Mestre em Medicina Veterinária Preventiva

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp) – Campus de Jaboticabal, pela defesa de dissertação que avaliou a qualidade microbiológica de queijos Minas Frescal.

Doutora em Engenharia e Ciência de Alimentos

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp/Ibilce) – Campus de São José do Rio Preto, pela defesa de tese que avaliou a ação de bactérias ácidos láticas com potencial probiótico na microbiota intestinal de camundongos Balb/C.

Professora Universitária

Como professora universitária ministra as disciplinas de “Higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal” e “Ética e bem estar animal”, além de coordenar o curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário do Norte Paulista (UNORP).

Professora de Pós Graduação

Docente no curso de pós graduação lato sensu em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal e Vigilância Sanitária e Controle de Qualidade de Alimentos, no Instituto Qualittas de Pós Graduação, além de ser coordenado do núcleo educacional do mesmo Instituto no município de São José do Rio Preto-SP.

Pesquisadora

Desenvolve pesquisas na área de higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal, além da área de microbiologia de alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *