Médico Veterinário e o gerenciamento de suas vidas

Bruna Souza Colunistas

Durante uma aula ministrada essa semana na disciplina de Bem Estar Animal aos acadêmicos do último ano do curso de Medicina Veterinária, o tema foi caminhando aos aspectos psicológicos envolvidos no procedimento de eutanásia e alguns questionamentos já haviam surgido em mim no início da semana em uma conversa informal com um docente do curso de psicologia, onde falamos sobre culpa e irresponsabilidade.

 

O amor que sinto pela profissão por mim escolhida vai além do que vocês possam imaginar estar atuando na área que fui conduzida pelos meus mestres faz com que eu sinta tamanha alegria que me esqueço da hora, devido a este amor e repleta de sentimento, quando ouço comentários que agridam a Medicina Veterinária, questiono até onde existe verdade.

 

Tudo que ocorre em nossas vidas provém de um FATO, este é carregado por SIGNIFICADO e repleto de sentimento (novamente) e a partir deste momento geramos uma CRENÇA… A crença atual, comprovada por dados científicos, afirma que os profissionais médicos veterinários estão elencados como os principais acometidos pela Síndrome de Burnout.

 

Durante a aula, que comentei no início, afirmei aos acadêmicos em sala que não podemos afirmar que a Medicina Veterinária seja o problema, conheço inúmeros profissionais completamente realizados com a profissão mesmo carregados… sobrecarregados de obrigações, responsabilidades e críticas ditas construtivas, mas exalam rancor, então para compreender melhor optei por buscar informações com profissionais capacitados no assunto.

 

A professora Eloisa Jacomini, coordenadora do curso de psicologia da Unorp relatou que a Síndrome de Burnout é uma depressão relacionada a uma dimensão específica na vida do indivíduo que seria a profissão. “Não é A profissão, mas sim o indivíduo em relação A profissão, dependendo de como o indivíduo se sente exercendo a profissão”.

 

Sucesso profissional é a meta de todos, independente da área de atuação, porém é imprescindível delinear como agir para alcançar sua meta. Sou simpatizante da lei da atração e da descrição de palavras terem poder, mas pensamento positivo sem ação, não leva a lugar algum, se SUA meta é o sucesso profissional, trace o caminho a seguir para isso: quantas horas por dia irá estudar? Onde fará estágios? Quantas horas por dia irá dormir?

 

Tendo em mente sua meta, trace o caminho a ser percorrido e toda noite antes de dormir, viva a experiência do sucesso alcançado, você é único e merece o sucesso tão sonhado, ainda mais tendo trabalhado tão duro como tem feito.

 

Nesses anos ministrando aula no último ano do curso de Medicina Veterinária eu sempre desejo aos acadêmicos que eles sintam ao menos 50% do amor que eu sinto pela profissão e caso isso não aconteça nunca é tarde para recomeçar ou procurar ajuda.

 

Estamos vivendo o Setembro Amarelo, uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio iniciada em 2015, estejam atentos aos sinais que podem estar sendo demonstrados por colegas e apesar de adorar os super heróis, não podemos esquecer que não temos super poderes, somos passíveis de erros, afinal é errando que se aprende não?

 

Agradecimento aos docentes do curso de psicologia Marcus Vinicius e Eloisa.

 

Bruna Maria Salotti de Souza

 @brunasalottisouza

 

Médica Veterinária

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade de Marília, exerceu a atividade como Gestora de Garantia da Qualidade, Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos na DaGranja Agroindustrial, empresa Marfrig Group, além de Gestora de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos no Frigorífico Prieto Ltda.

Mestre em Medicina Veterinária Preventiva

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp) – Campus de Jaboticabal, pela defesa de dissertação que avaliou a qualidade microbiológica de queijos Minas Frescal.

Doutora em Engenharia e Ciência de Alimentos

Título obtido na Universidade Estadual Paulista (Unesp/Ibilce) – Campus de São José do Rio Preto, pela defesa de tese que avaliou a ação de bactérias ácidos láticas com potencial probiótico na microbiota intestinal de camundongos Balb/C.

Professora Universitária

Como professora universitária ministra as disciplinas de “Higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal” e “Ética e bem estar animal”, além de coordenar o curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário do Norte Paulista (UNORP).

Professora de Pós Graduação

Docente no curso de pós graduação lato sensu em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal e Vigilância Sanitária e Controle de Qualidade de Alimentos, no Instituto Qualittas de Pós Graduação, além de ser coordenado do núcleo educacional do mesmo Instituto no município de São José do Rio Preto-SP.

Pesquisadora

Desenvolve pesquisas na área de higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal, além da área de microbiologia de alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *