Estoques de soja nos EUA devem crescer com disputa comercial com China, diz USDA

A oferta de soja nos Estados Unidos deve alcançar um nível recorde já que uma guerra comercial com a China, maior comprador mundial da commodity, reduzirá as exportações, informou o Departamento de Agricultura do país (USDA) nesta quinta-feira.

O USDA, em seu relatório mensal de oferta e demanda, estimou os estoques finais de soja no ano-safra 2018/19 em 580 milhões de bushels, acima da estimativa de 385 milhões de bushels feita há um mês, antes de a China impor tarifas sobre as importações da oleaginosa norte-americana.

Caso se concretize, esse volume superaria o recorde anterior, de 574 milhões de bushels, registrado ao término do ano-safra 2006/07.

As estimativas dos analistas em uma pesquisa da Reuters colocaram os estoques finais de soja em 2018/19 em uma faixa de 390 milhões de bushels a 571 milhões de bushels.

“As mudanças no comércio de soja e seus produtos refletem o impacto das tarifas de importação de soja recentemente impostas pela China, além de outras mudanças globais na oferta e demanda neste mês”, disse o USDA no relatório.

O governo dos EUA reduziu suas projeções de exportação de soja em 250 milhões de bushels, para 2,040 bilhões de bushels.

Foi o segundo maior corte mensal para as exportações de soja. Em agosto de 2012, o USDA cortou sua previsão de exportação de soja em 260 milhões de bushels, à medida que a seca reduzia o potencial de produção e provocou uma recuperação nos preços que arrefeceram a demanda.

O USDA também reduziu suas perspectivas de estoques finais para a safra 2017/18, que termina em 31 de agosto, para 465 milhões de bushels, contra 505 milhões de bushels, devido ao aumento na demanda por esmagadores e maiores exportações no atual ano de comercialização.

O USDA também elevou sua perspectiva para a safra de soja 2018/19 para 4,310 bilhões de bushels, um aumento de 30 milhões de bushels em relação à sua perspectiva anterior. O órgão deixou sua previsão de rendimento inalterada em 48,5 bushels por acre.

Para o milho, o USDA previu a safra 2018/19 a 14,230 bilhões de bushels, em linha com as estimativas dos analistas, e acima dos 14,040 bilhões de bushels previstos em junho. Deixou a perspectiva de rendimento de milho inalterada em 174,0 bushels por acre.

O USDA estimou os estoques domésticos finais de milho em 2018/19 a 1,552 bilhão de bushels, perto das previsões de mercado mais baixas e inferior também à projeção de junho, de 1,577 bilhão de bushels.

O USDA aumentou sua perspectiva de exportação de milho em 125 milhões de bushels, para 2,225 bilhões de bushels, mas reduziu a previsão para o uso em etanol.

Fonte: Reuters

 

Deixe uma resposta