Erosão

Quem é do campo, já ouviu falar sobre a erosão laminar. Como toda erosão, a erosão laminar é perigosa para o produtor. Mas o que quase ninguém sabe, é que esse tipo de erosão, é a mais perigosa que existe.

A erosão laminar é discreta. A água ou o vento, vão levando camadas finas do terreno, e quando o produtor se dá conta, as raízes das plantas já estão à mostra e totalmente comprometidas. É difícil, caro e desgastante cuidar desse tipo de erosão.

Aí outro dia assisti a uma palestra sobre o assunto e fiquei me perguntando: mas como é que alguém não percebe um estrago tão grande? Vai ouvindo…

Deixa eu te perguntar uma coisa: o que é que você fez com o seu ano? Por que o ano acabou, já já a Simone começa a cantar e eu não aguento mais ouvir a mesma coisa: “nooossa… mas eu nem vi o ano passar”. Jura?

Tem um tipo de erosão tão – ou mais – perigosa que a laminar. É a erosão do tempo. Ao longo do ano a gente perde um tempo danado com um monte de coisa que a gente não tem absolutamente nenhum controle. Saúde, economia, emprego, juros altos… tudo isso é importante, mas se tiver que acontecer alguma coisa, vai acontecer independente da nossa vontade.

E aí, a única coisa que a gente realmente domina, que é o tempo, vai sumindo, sumindo… perdido neste monte de preocupação.

Você é dono do seu tempo. E o tempo, o seu tempo, é a única coisa que você pode administrar, a única coisa da qual você é senhor absoluto. Mas ele é finito. E se a gente não toma cuidado, assim como a erosão laminar, ele acaba e você nem se dá conta.

Se o ano acabou e você nem percebeu, a culpa é só sua. E ficar sem tempo, é difícil, caro e desgastante. E aí eu te pergunto: vai fazer o que com o seu tempo no ano que tá chegando? Hein?

Flaviana Ribeiro

Deixe uma resposta